sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Uma rosa

Uma rosa desejava com a companhia das abelhas, mas nenhuma vinha até ela.
Mesmo assim, a flor ainda era capaz de sonhar. Ao sentir-se só, imagi­nava um jardim coberto de abelhas, que vinham lhe beijar. E conseguia resistir até o próximo dia, quando tornava a abrir suas pétalas.

- Você não está cansada? – perguntou outra rosa.
- Não. Preciso continuar lutandor.
- Por quê?

- Porque, se eu não me abrir, eu murcho.

(Paulo Coelho)

2 comentários:

Rui disse...

Muito giro o poema.

Victoria Eugenia disse...

é precioso. Obrigado por compartilhar